Eurocâmara condena 'brutal repressão' na Nicarágua

Estrasburgo, França, 31 Mai 2018 (AFP) - O Parlamento Europeu condenou nesta quinta-feira a "brutal repressão" contra manifestantes na Nicarágua e pediu ao governo que cesse "todos os atos de violência e adote uma reforma eleitoral".

Por 536 votos a favor, 39 contra e 53 abstenções, os eurodeputados reunidos em Estrasburgo (nordeste da França) também exortaram os manifestantes e organizações à frente dos protestos a "abster-se de recorrer à violência durante o exercício de seus direitos".

Pelo menos 92 mortos, segundo dados oficiais e de organizações de direitos humanos compilados pela AFP, foram registrados nos protestos, que começaram em 18 de abril, contra a reforma da previdência social promovida pelo governo de Daniel Ortega.

As manifestações foram marcadas pela violência e provocaram protestos contra o governo. Os manifestantes exigem a renúncia de Ortega, um ex-guerrilheiro que eles acusam de tentar estabelecer uma ditadura familiar como a de Anastasio Somoza (1934-1979), contra a qual ele mesmo lutou.

O Parlamento Europeu "condena a brutal repressão e intimidação dos manifestantes pacíficos na Nicarágua, que se opõem à reforma da previdência social, e lembra todas as forças de segurança da Nicarágua de seu dever, o de proteger seus cidadãos".

Na resolução, promovida pelos grupos conservadores, social-democratas e liberais, os eurodeputados pedem que "as autoridades da Nicarágua autorizem uma investigação internacional transparente e independente, a fim de processar os responsáveis pela repressão".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos