Trump minimiza violações dos direitos humanos no regime de Kim Jong-un

Em Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, minimizou nesta quarta-feira (13) as violações dos direitos humanos cometidas pelo regime de Kim Jong-un, assinalando que outros países também fazem "coisas más".

Um dia após seu histórico encontro com Kim, em Singapura, Trump declarou que "muitas outras pessoas fizeram coisas verdadeiramente más". "Acredito que poderia ir a muitas nações onde já fizeram várias coisas ruins."

Em entrevista à Fox News, o presidente americano elogiou Kim como "um cara inteligente" e um "grande negociador". "Acredito que nos entendemos."

Segundo o departamento americano de Estado, o regime de Kim mantém entre 80 mil e 120 mil presos políticos em campos de trabalho forçado, enfrentando torturas e fome.

Kim também é suspeito de ordenar, no ano passado, o assassinato de seu irmão, envenenado em um aeroporto da Malásia.

Em um encontro histórico em Singapura, na terça-feira, Trump e Kim concordaram em trabalhar para eliminar as armas nucleares da península coreana.

Os críticos temem que a cúpula tenha legitimado Kim e afirmam que a reunião serviu mais para a exposição na mídia do que para progressos reais.

Na entrevista à Fox News, Trump também elogiou o presidente da China, Xi Jinping, que chamou de "cara incrível", e destacou que ele é "um presidente essencialmente vitalício", algo "muito bom".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos