PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Investigam ameaças contra colombiano Carlos Sánchez por expulsão na Copa do Mundo

22/06/2018 16h13

Bogotá, 22 Jun 2018 (AFP) - As autoridades da Colômbia investigam supostas ameaças de morte contra o volante Carlos Sánchez por usuários das redes sociais que o responsabilizam pela derrota de sua seleção na estreia da Copa do Mundo contra o Japão.

"Estamos no processo de obtenção da informação para proceder com as notícias criminais que podem haver", disse o general Jorge Vargas, diretor da Direção de Investigação Criminal e Interpol da polícia colombiana, ao noticiário CM&.

As supostas ameaças foram feitas nas redes sociais contra o volante do Espanyol, de 32 anos, por ter sido expulso na derrota por 2 a 1 da seleção colombiana contra o Japão.

A conta no Twitter @HumoAguilaFPC publicou a mensagem "Proponho um sonho a vocês" junto com imagens de Sánchez e do falecido zagueiro colombiano Andrés Escobar.

Com 27 anos, Escobar foi assassinado em Medellín em julho de 1994 em um caso supostamente relacionado com um gol contra marcado em uma partida com os Estados Unidos (2 a 1) e que eliminou o seu país da Copa do Mundo.

O general Vargas assegurou que, embora a conta tenha sido encerrada, as autoridades colombianas preservaram a evidência e trabalham com o Twitter para rastrear os responsáveis, que podem enfrentar uma investigação criminal por ameaças.

No início da partida de terça-feira, Sánchez encostou a mão na bola dentro da área e, por isso, o árbitro Damir Skomina marcou pênalti. Skomina o expulsou e a partir dos três minutos do primeiro tempo a Colômbia jogou com um homem a menos.

O meia japonês Shinji Kagawa converteu a penalidade, abrindo o placar. Depois, Juan Fernando Quintero empatou a partida (39), mas Yuya Osako virou (73).

A Colômbia está no Grupo H com Japão, Polônia e Senegal. Os colombianos podem decidir seu futuro quando enfrentarem os europeus no domingo.

raa/dg/cb/cc

Twitter

Internacional