PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mais de 500 mulheres detidas em protesto nos EUA contra separação de famílias

28.jun.2018 - A Polícia do Capitólio disse que 575 pessoas fizeram um protesto sentadas no átrio de um edifício de escritórios do Senado e foram acusadas de manifestar-se ilegalmente, depois registradas no local e liberadas - NICHOLAS KAMM/AFP
28.jun.2018 - A Polícia do Capitólio disse que 575 pessoas fizeram um protesto sentadas no átrio de um edifício de escritórios do Senado e foram acusadas de manifestar-se ilegalmente, depois registradas no local e liberadas Imagem: NICHOLAS KAMM/AFP

28/06/2018 22h51

Ao menos 500 mulheres, incluindo uma parlamentar, foram detidas nesta quinta-feira no complexo do Capitólio durante um protesto contra a política migratória de Donald Trump.

A Polícia do Capitólio disse que 575 pessoas fizeram um protesto sentadas no átrio de um edifício de escritórios do Senado e foram acusadas de manifestar-se ilegalmente, depois registradas no local e liberadas.

Muitas das detidas cantavam e gritavam palavras de ordem e usavam cobertores prateados de emergência similares aos utilizados pelas crianças nos centros de detenção.

A representante democrata Pramila  Jayaoal foi uma das detidas.

"Acabo de ser presa com + 500 mulheres e @womensmarch diz que não continuará a política de tolerância zero de @realDonaldTrump. Não em nosso país. Não em nosso nome", escreveu no Twitter.

A atriz Susan Sarandon disse que também foi detida nesta quinta-feira em Washington, perto do Departamento de Justiça, onde também houve protesto.

"Presa. Permaneçam fortes. Se mantenham lutando. #WomenDisobey", disse no Twitter a atriz de Hollywood.

Trump e o Congresso estão em um embate para resolver a crise que separou mais 2.000 crianças de seus pais imigrantes desde que o governo anunciou, no começo de maio, uma política na fronteira de "tolerância zero".

A política exige o estrito cumprimento de leis que estabelecem que qualquer imigrante que atravesse a fronteira de modo irregular seja preso e processado.

Após protestos da comunidade internacional e de críticas feitas por democratas e republicanos, Trump pediu recentemente que seja interrompida a separação das famílias, mas o Congresso ainda não conseguiu resolver a crise.

Internacional