PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Negociador europeu diz que diálogo sobre Brexit continuará segunda-feira

10/07/2018 17h09

Nova York, 10 Jul 2018 (AFP) - Os diálogos entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido serão retomados na segunda-feira (10), dentro do previsto, com o novo ministro britânico designado para levar o Brexit adiante - informou à AFP o negociador europeu, Michel Barnier.

Barnier se negou a comentar a renúncia de seu equivalente britânico, David Davis, e do chanceler Boris Johnson, que apresentaram sua renúncia nesta segunda-feira por divergências com a estratégia da primeira-ministra Theresa May para deixar o bloco.

"Tive uma relação franca e cordial com David Davis, e agora trabalharei a partir de segunda-feira com o negociador que May nomeou", disse Barnier nesta terça-feira, após uma apresentação no Council on Foreign Relations, um think tank em Nova York.

O diálogo continuará com o substituto de Davis, Dominic Raab, que apoia o Brexit. Já o ministro da Saúde, Jeremy Hunt, foi nomeado para suceder a Johnson.

Ao ser perguntado sobre se as mudanças no gabinete britânico reduzem as chances de alcançar um acordo em outubro acerca das condições da saída do Reino Unido do bloco europeu, Barnier não quis responder.

"Não quero e nunca comentei sobre a situação política do Reino Unido", respondeu.

Do mesmo modo, recusou-se a opinar sobre o trecho da carta de renúncia de Johnson que afirma que "o sonho do Brexit está morrendo".

"Em todo caso, fechar a negociação será difícil", completou. "O tempo é tão curto que eu não quero perdê-lo. Temos que usar esse tempo para a negociação com o Reino Unido, acrescentou Barnier.

Diante do Conselho de Relações Exteriores, Barnier falou sobre o estado dos diálogos entre UE e Reino Unido. "Todos sabemos que um cenário sem acordo teria custos substanciais", disse. "A falta de acordo será a pior solução para todos".

De acordo com Barnier, até o momento as partes avançaram "cerca de 80% do acordo de saída", mas "os pontos mais difíceis continuam abertos".

Um dos temas mais sensíveis é a fronteira entre a Irlanda e a Irlanda do Norte - que deixará de integrar o bloco por fazer parte do Reino Unido.

Barnier disse que espera "desdramatizar" o que chama de "controles de fronteiras muito técnicos e práticos". "Devemos criar uma solução operacional para a Irlanda".

Internacional