PUBLICIDADE
Topo

Fracassa última negociação para evitar greve da Ryanair na Espanha

24/07/2018 20h18

Madri, 24 Jul 2018 (AFP) - Os sindicatos espanhóis mantiveram na noite desta terça-feira (24) a convocação de greve do pessoal de bordo da Ryanair para quarta e quinta-feira, após o fracasso de uma última negociação com os representantes da companhia aérea irlandesa, organizada pelo governo espanhol.

Cinco sindicatos pediram a aeromoças e auxiliares de voo que deixem de trabalhar nesta quarta e quinta-feira na Espanha, em Portugal, na Bélgica e na Itália, obrigando a Ryanair a cancelar 600 voos preventivamente.

Na Espanha, os sindicatos de equipes de bordo USO e Sitcpla negociaram durante horas nesta terça-feira à tarde com o representante da companhia, antes de avaliar como inevitável a greve convocada a partir da 0H00.

"Vamos fazer greve", anunciou à imprensa um representante do sindicato USO-sector aéreo, Ernesto Iglesias, ao fim do encontro.

Este sindicalista assegurou que a companhia de baixo custo continuava "sem querer aceitar transferir trabalhadores de agências para a própria companhia e ir aos poucos eliminando essa temporalidade e essas diferencias salariais entre coletivos".

Os sindicatos pedem à companhia que não aplique a legislação irlandesa, mas a de cada um dos países onde emprega funcionários e exigem as mesmas condições de trabalho para os funcionários com contrato e para os interinos.

A Ryanair argumenta que aplica a lei da Irlanda porque é onde estão matriculados seus aviões e a maior parte do trabalho efetuado por sua equipe é a bordo do avião.

Com a crescente insatisfação de seus funcionários, a companhia assinou pela primeira vez nos últimos meses alguns acordos reconhecendo seus sindicatos, nas as negociações ainda são difíceis em vários países.