PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Espanha critica atitude da Itália sobre emigrantes

26/07/2018 00h41

Madri, 26 Jul 2018 (AFP) - O ministro espanhol das Relações Exteriores, Josep Borrel, criticou nesta quarta-feira a decisão da Itália de fechar seus portos aos emigrantes e defendeu a adoção de uma política europeia para se enfrentar a situação migratória.

A Itália fechou o rota de emigração que passava pela Líbia "de maneira discutível, o que vai provocar, sem qualquer dúvida, problemas em nível europeu mais graves que os enfrentados pelos países do Leste", afirmou Borrel em encontro com correspondentes estrangeiros.

Os países do Leste da União Europeia se negam a acolher os refugiados que Bruxelas pretende dividir entre os Estados da UE.

Após rejeitar vários navios carregados com emigrantes resgatados no Mar Mediterrâneo, Roma condicionou o desembarque de emigrantes em seus portos a que os demais Estados da UE se encarreguem deles.

A Espanha acolheu um dos primeiros navios rejeitados pela Itália, o 'Aquarius', que atracou em Valencia em 17 de junho com 630 emigrantes a bordo.

A solução do problema migratório "não pode consistir em esta espécie de ajuste permanente" para dividir os emigrantes que desembarcam em um país, avaliou Borrell, assinalando que a Espanha também poderia pedir para compartilhar os imigrantes que entram por suas fronteiras terrestres nos enclaves de Ceuta e Melilla, no norte do Marrocos.

A União Europeia precisa aplicar uma política migratória "in situ nos países de origem (dos emigrantes), caso contrário estaremos transferindo a pressão de um local para outro", avaliou o ex-presidente do Parlamento Europeu.

Borrell destacou que o fechamento da rota líbia desviou o fluxo de emigrantes para o Marrocos e a Espanha.

Internacional