PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Regime sírio encurrala jihadistas do EI no sul do país

31/07/2018 19h14

Beirute, 31 Jul 2018 (AFP) - Dezenas de combatentes ligados ao grupo Estado Islâmico (EI) estão encurralados no último território sob seu controle no sul da Síria, onde nesta terça-feira ocorriam violentos combates entre as forças do regime e os jihadistas, segundo a imprensa estatal e uma ONG.

O regime, com o apoio da Rússia, realiza desde meados de junho uma ofensiva nas províncias de Deraa e Quneitra, ambas no sul do país.

Na região de Quneitra, as forças de Bashar Al Assad já controlam todos os setores junto à linha de demarcação das Colinas de Golã, ocupadas por Israel, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Ao menos 100 jihadistas do Exército Khaled bin al Walid, facção que se associou ao EI, estão cercados em um setor do sudoeste de Deraa, segundo o OSDH.

Esta zona foi alvo de ataques aéreos do regime e de seu aliado russo, destacou o OSDH.

"Unidades do Exército participam de violentos combates nos últimos redutos do grupo terrorista EI" em um povoado do setor, informou a TV estatal síria.

Segundo o OSDH, os confrontos ocorrem após o fracasso de negociações para que os jihadistas pudessem sair para o deserto central de Badiya em troca da libertação de cerca de 30 mulheres e crianças recentemente sequestrados pela organização.

O grupo foi sequestrado em uma ofensiva lançada pelos jihadistas em 25 de julho que deixou mais de 250 mortos na região de Sueida, segundo o OSDH.

Em maio, o regime sírio aceitou a retirada de cerca de mil jihadistas que estavam na região ao sul de Damasco.

As forças do regime reconquistaram quase a totalidade das províncias de Deraa e Quneitra, após operações aéreas e por terra e acordos de capitulação impostos aos rebeldes.

Iniciada em 2011, a guerra civil na Síria já deixou mais de 350 mil mortos.

Internacional