PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Argentina descarta dolarização ou reestruturação da dívida

20/09/2018 19h40

Buenos Aires, 20 Set 2018 (AFP) - O governo argentino descarta uma dolarização da economia ou atrelar o peso ao dólar e também não prevê a reestruturação de sua dívida, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Economia, Nicolás Dujovne.

"A Argentina adotou uma taxa de câmbio flutuante com diferentes variantes e vai manter", afirmou Dujovne ao defender o projeto de orçamento de 2019 na Comissão da Fazenda da Câmara dos Deputados.

"A Argentina não está embarcada em nenhuma negociação de nenhum esquema monetário com as características mencionadas", acrescentou.

Dujovne respondeu assim a uma consulta sobre declarações feitas na semana passada por um conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, que disse que "a única maneira de a Argentina sair do dilema é amarrar sua moeda, o peso, ao dólar".

O ministro também negou que o governo de Mauricio Macri esteja pensando em reestruturar a dívida do país.

"Não planejamos nenhuma 'megatroca' (de títulos), nem qualquer reestruturação da dívida, vamos melhorar nosso perfil de endividamento", afirmou aos deputados.

O orçamento para 2019 foi elaborado em meio a negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) de novas condições para o acordo alcançado em junho, em meio a uma corrida cambial.

O Fundo concedeu à Argentina um empréstimo de 50 bilhões de dólares em três anos, dos quais já lhe repassou 15 bilhões.

Após uma nova corrida em agosto, o governo voltou a recorrer ao Fundo e espera que o organismo aprove a antecipação dos desembolsos para garantir o pagamento da dívida.

O FMI aprovou nesta quinta-feira, em Washington, o orçamento apresentado pelo governo de centro-direita de Macri. O principal objetivo do plano de austeridade é alcançar o equilíbrio fiscal primário em 2019, ano de eleições presidenciais, depois de ter tido déficit de 3,9% do PIB em 2017.

Internacional