PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Opas adverte sobre riscos para saúde dos imigrantes

24/09/2018 20h12

Washington, 24 Set 2018 (AFP) - A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Carissa F. Etienne, alertou sobre os riscos para a saúde que os imigrantes enfrentam, apesar dos avanços em termos de saúde na região.

"Todos temos consciência de que a saúde e o bem-estar dos imigrantes estão em risco e de que a emigração pode intensificar consideravelmente a propagação de certas doenças transmissíveis", disse no domingo a diretora da Opas na abertura do 56º conselho diretivo da organização.

Durante toda esta semana, as autoridades da região se reúnem na sede da Opas em Washington para avaliar políticas de saúde pública e debater ações para controlar vetores que transmitem doenças como a malária, o zika e a doença de Chagas.

"A emigração pode intensificar consideravelmente a propagação de certas doenças transmissíveis, como demonstraram a propagação do sarampo e da malária nos países da região nos últimos 12 meses", disse Etienne.

A diretora da Opas afirmou que apesar dos avanços das últimas décadas, "a região enfrenta desafios que podem pôr em risco os resultados alcançados e diminuir sua capacidade para abordar desafios novos e emergentes".

Destacou também que embora tenha havido melhoras na região, há indícios de que "as desigualdades persistem".

"Devemos proteger as pessoas mais vulneráveis para garantir um futuro saudável para todos", concluiu Néstor Méndez, secretário-geral adjunto da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Internacional