PUBLICIDADE
Topo

Chile lança Rota dos Parques da Patagônia, um percurso de 2.800 km

26/09/2018 21h27

Santiago, 27 Set 2018 (AFP) - O Chile está lançando a Rota dos Parques da Patagônia, que agrupa 17 parques nacionais ao longo de mais de 2.800 km que vão de Puerto Montt, no centro-sul do país, até Cabo de Hornos, para sensibilizar sobre a conservação e atrair turistas.

Os 17 parques protegem 11,5 milhões de hectares, o equivalente a quase três vezes o tamanho da Suíça e mais do dobro da Costa Rica, que integram a rodovia austral, os canais patagônicos e a Rota do Fim do Mundo.

Vistos no mapa, são uma longa mancha verde que cobre um terço do sul do país, fragmentado por canais e lagoas, e é habitat de uma rica flora e fauna autóctones, assim como de 60 comunidades.

Os promotores da rota, a Tompkins Conservation, pretendem que o "Chile seja reconhecido internacionalmente por ter a rota pitoresca mais espetacular do mundo, e nos tornarmos assim uma referência de desenvolvimento econômico baseado na conservação", disse Carolina Morgado, diretora executiva da fundação do falecido mecenas ambiental americano Douglas Tompkins, cuja viúva doou ao país, no ano passado, mais de 408.000 hectares para criar cinco parques.

Como se trata de uma zona nem sempre de fácil acesso por sua orografia e extensão e escassas zonas povoadas, que com frequência ladeiam a rodovia austral, a campanha contempla um site (www.rutadelosparques.org) que fornecerá aos viajantes informações únicas sobre este território, agrupando em um só lugar excursões sugeridas, dicas de transporte, alojamento, e mais de 50 caminhos traçados com GPS.

Boa parte destes parques e outras zonas protegidas no país foram criados pela ex-presidente socialista Michelle Bachelet durante seu último mandato (2014-2018), deixando 14 novas áreas marinhas protegidas (1,31 milhão de km2) e a Rede de Parques da Patagônia.