Maduro afirma que Washington encomendou sua morte

Caracas, 12 Out 2018 (AFP) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quinta-feira que os Estados Unidos determinaram à Colômbia seu assassinato, destacando que confia no povo venezuelano para mantê-lo vivo.

"Deram ao governo em Bogotá a missão de matar Maduro, denuncio isto mundialmente. Da Casa Branca passaram este trabalho ao governo de Bogotá", disse o líder venezuelano em rede nacional de rádio e TV.

"Veio da Casa Branca a ordem para matar Maduro, mas não vão tocar em nem um fio do meu cabelo porque Deus e o povo me protegem".

Maduro denunciou ainda que o atentado com drones carregados de explosivos do qual foi alvo no dia 4 de agosto passado foi orquestrado pelos Estados Unidos, pelo ex-presidente da Colômbia Juan Manuel Santos e por opositores venezuelanos, como o deputado Julio Borges.

O líder venezuelano acusou ainda o presidente colombiano, Iván Duque, de proteger os autores do ataque.

Nesta quinta-feira, a Colômbia concedeu o status de refugiado a Borges, ex-presidente do Parlamento venezuelano, controlado pela oposição.

O status de refugiado implica, entre outras coisas, que a pessoa não deve ser expulsa ou enviada a situações ou países em que sua vida e liberdades corram risco, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos