Na ONU, Rússia pede a saída dos Capacetes Brancos da Síria

Nações Unidas, Estados Unidos, 12 Out 2018 (AFP) - A Rússia pediu nesta quinta-feira (11) aos países ocidentais que retirem os Capacetes Brancos da Síria, incluindo Idlib, assegurando que representam uma "ameaça", provocando fortes críticas de Washington, Londres e Paris, que denunciaram a "desinformação", de acordo com diplomatas da ONU.

"A presença dos Capacetes Brancos é uma ameaça. Nós exigimos que os países ocidentais retirem os Capacetes Brancos da Síria", declarou um representante russo em uma reunião fechada do Conselho de Segurança, convocada por Moscou.

"Os terroristas devem partir. Não é uma boa ideia mantê-los na sociedade", disse o representante russo, cujas palavras foram comunicadas à AFP por um diplomata que falou anonimamente após as reuniões.

"Tirem-os das áreas onde estão, incluindo Idlib", disse o representante russo, segundo outro diplomata que também falou sob condição de anonimato.

A Rússia não considera os Capacetes Brancos presentes nas áreas rebeldes como trabalhadores de resgate e já os acusou anteriormente de estarem ligados a grupos terroristas.

Segundo várias fontes diplomáticas, os Estados Unidos, o Reino Unido e a França reagiram rechaçando a "informação falsa".

"Essas são acusações escandalosas e falsas. Os Capacetes Brancos fazem parte de organizações humanitárias e a Rússia continua oferecendo informações falsas", disse o representante americano, segundo essas fontes.

"Nada disso é verdade, essas insinuações são absurdas, vamos parar de desperdiçar o tempo do Conselho de Segurança", acrescentou o representante britânico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos