Pompeo visita América Latina em plena crise de imigrantes

Panamá, 19 Out 2018 (AFP) - O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, tratou nesta quinta-feira (18) com o governo Panamá sobre migração irregular, em meio a ameaças do presidente Donald Trump de fechar a fronteira com o México se prosseguir uma caravana de emigrantes hondurenhos que tenta chegar aos Estados Unidos.

Pompeo, que na sexta-feira visitará o México, se reuniu com o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, para reforçar "o intercâmbio de experiências e boas práticas para a gestão dos fluxos migratórios irregulares, luta contra o narcotráfico e outras modalidades do crime organizado", segundo comunicado do governo panamenho.

"Ambas as nações trabalham para os mesmos objetivos", disse Pompeo.

A reunião com o presidente Juan Carlos Varela aconteceu no Palácio de Las Garzas, sede do governo, e durou menos de uma hora. Ao final, os dois saíram à varanda da casa presidencial por vários minutos.

Segundo o comunicado do governo panamenho, Pompeo e Varela "abordaram amplamente" a situação na Venezuela e na Nicarágua, e os "esforços regionais necessários diante da situação humanitária que os emigrantes atravessaram".

O presidente panamenho comentou com o secretario Pompeo a importância de que o setor privado e a sociedade civil na região se envolvem mais na luta contra o crime organizado e na busca por alternativas aos problemas sociais causados pelas migrações em massa.

- Caravana hondurenha -A chegada de Pompeo à América Latina ocorre em um momento no qual uma caravana de emigrantes hondurenhos avança pelo território da Guatemala para o México com a esperança de chegar aos Estados Unidos.

Esta caravana provocou a ira de Trump, que nesta quinta-feira ameaçou fechar a fronteira dos Estados Unidos com o México se os migrantes não forem impedidos.

"Devo, nos termos mais firmes, pedir ao México que detenha este avanço e, se não conseguir fazê-lo, chamarei os militares e FECHAREI A NOSSA FRONTEIRA SUL", tuitou Trump.

Na sexta-feira, Pompeo tem previsto se reunir com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, com o chanceler Luis Videgaray e com o chanceler designado, Marcelo Ebrard, para abordar, entre outros assuntos, "a redução da imigração ilegal", de acordo com Washington.

A região latino-americana apresenta uma onda maciça de emigrantes venezuelanos que saem de um país afundado em uma grave crise econômica e social.

Na quarta-feira, um navio-hospital da Marinha dos Estados Unidos atravessou o Canal do Panamá em direção à América do Sul, dentro de um programa humanitário que busca atender diariamente centenas de emigrantes venezuelanos no Equador, Colômbia, Peru e Honduras.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos