PUBLICIDADE
Topo

Grécia apresenta primeiro projeto de orçamento sem austeridade após resgate

21/11/2018 15h29

Atenas, 21 Nov 2018 (AFP) - O governo grego apresentou seu projeto de orçamento para 2019 nesta quarta-feira (21) no Parlamento, o primeiro após o fim da tutela de seus credores, que prevê um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,5% e um aumento da receita de 900 milhões de euros.

Esta lei de finanças, "a primeira expansão orçamentária em dez anos", segundo o porta-voz do governo, Dimitris Tzanakopoulos, formaliza o abandono de outros cortes de pensões, exigidos inicialmente pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Atenas e a zona do euro decidiram renunciar a esta medida, vendo a melhoria dos resultados orçamentários do país, classificados nesta terça-feira como "excepcionais" pelo presidente da zona do euro Mario Centeno ante o Parlamento europeu.

Em 2018, prevê-se que o país "supere seus objetivos orçamentários pelo terceiro ano consecutivo", informou Centeno.

O superávit orçamentário, que a Grécia se comprometeu a manter em 3,5% do PIB até 2022, deverá alcançar 3,98% em 2018, segundo o próprio projeto de orçamento, que será submetido à votação do Parlamento em 18 de dezembro.

"Isso permite uma mudança gradual na política orçamentária para fortalecer a renda familiar, apoiar o desenvolvimento sustentável e enfrentar os déficits crônicos de proteção social", disse o Ministério da Fazenda ao publicar o projeto.

Essas medidas "positivas", estimadas pelo governo em 900 milhões de euros, incluem subsídios familiares e de aluguel, bem como reduções direcionadas de impostos e contribuições sociais.