PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EI reivindica 118 mortes na África Ocidental em ataques contra bases militares

23/11/2018 18h28

Lagos, 23 Nov 2018 (AFP) - O grupo Estado Islâmico (EI) afirmou ter matado 118 pessoas na autodenominada província da África Ocidental na última semana, em uma série de ataques contra bases militares a nordeste da Nigéria, gerando temores sobre a volta do Boko Haram.

O grupo islamita afirmou, em um vídeo publicado na Internet na noite de quinta-feira, que realizou cinco operações no Chade e na Nigéria entre 15 e 21 de novembro, segundo o a página SITE Intelligence Group, que supervisiona a atividade extremista.

Não se sabe mais detalhes, mas este anúncio do EI é feito após os recentes ataques às bases do Exército no estado de Borno, no nordeste da Nigéria, que tem sido o epicentro do conflito armado dos últimos nove anos.

Fontes de segurança disseram que pelo menos 44 soldados nigerianos foram mortos no domingo em um ataque no povoado de Metele, perto da fronteira com o Níger, embora um soldado que conseguiu fugir tenha relatado um número maior.

"A verdade é que perdemos mais de 100 homens porque fomos derrotados muito rapidamente", disse o soldado nesta sexta-feira de Maiduguri, capital do estado de Borno.

"Tínhamos menos armas, mas tentamos lutar. Percebemos que não era realista, então decidimos abandonar", contou.

A maioria dos soldados morreu nos caminhões quando bateram contra uma cerca na base e ficaram presos. Os oficiais superiores estavam entre os mortos, acrescentou.

Inclusive a equipe de busca que tentou resgatar os corpos dos soldados mortos na terça-feira foi atacada, disse o soldado.

A AFP contabilizou ao menos 17 tentativas de invadir as bases do Exército desde julho. Muitos foram reivindicados pelo Estado Islâmico na África Ocidental, mais conhecido como Boko Haram.

abu-phz/sf/har/sr/pb/cb

Internacional