Topo

Cerca de 80% dos iemenitas precisam de ajuda humanitária, diz ONU

04/12/2018 12h04

Genebra, 4 dez 2018 (AFP) - Quase toda população do Iêmen precisa de proteção e ajuda humanitária - alertou a ONU nesta terça-feira (4).

A organização disse que tentará atender a um número maior de pessoas em situação vulnerável no ano que vem.

Em seu apelo humanitário mundial para 2019, as Nações Unidas afirmam que "o Iêmen nunca esteve tão perto da fome extrema".

"O país com o maior problema em 2019 será o Iêmen", declarou o secretário-geral adjunto para assuntos humanitários da ONU, Mark Lowcock, em uma entrevista coletiva em Genebra.

Se as declarações de paz previstas para acontecer na Suécia derem frutos, "é possível que, daqui até o segundo semestre do ano, os iemenitas vejam seu sofrimento diminuir, afirmou Lowcock.

Cerca de 80% da população, ou seja, pelo menos 24 milhões de pessoas, "precisam agora, de uma maneira ou de outra, de proteção e de ajuda humanitária", aponta a ONU.

Em todo país, 18 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar e, destes, 8,4 milhões sofrem hoje de "fome extrema", segundo o informe.

A ONU precisa de 4 bilhões de dólares para ajudar 15 milhões de pessoas no Iêmen no ano que vem. Atualmente, o Programa Alimentar Mundial (PAM) atende a oito milhões de pessoas. A ONU espera elevar esse total para 12 milhões em 2019, acrescenta Lowcock.

bs-apo/lch/es/zm/tt