Topo

Novo chefe da máfia siciliana é preso na Itália

04/12/2018 13h51

Roma, 4 dez 2018 (AFP) - A polícia italiana anunciou nesta terça-feira a detenção do novo chefe da 'Cosa Nostra', Settimino Mineo, em um ampla operação para impedir a reorganização da temida máfia siciliana após a morte do "capo" histórico Toto Riina.

A detenção de Mineo, um joalheiro de 80 anos, e de outras 45 pessoas, aconteceu durante sua nomeação formal, prevista para uma reunião especial da Cosa Nostra.

Os detidos são acusados de associação de criminosos de tipo mafioso, extorsão, posse de armas e por incêndios, entre outras suspeitas.

A operação, chamada "Cupola 2.0", foi resultado de quatro investigações penais distintas e visando importantes clãs e famílias da região de Palermo.

"Tonton Settimo", como é chamado, foi designado em maio o chefe da cúpula de Palermo, ou seja, o principal líder das famílias mafiosas da província, em substituição a Toto Riina, comandante histórico de toda a máfia italiana, que faleceu ano passado na prisão.

"É um dos golpes mais duros infligidos pelo Estado à máfia", afirmou Luigi Di Maio, vice-primeiro-ministro e líder do Movimento 5 Estrelas.

Segundo a imprensa italiana, a polícia obteve informações importantes grampeando o telefone de um dos principais mafiosos detidos, Francesco Colletti.

Em uma conversa interceptada, o líder mafioso conta ao seu motorista os detalhes de uma reunião da cúpula, realizada em 29 de maio, que descreveu como um encontro "muito sério, com muita gente, gente grande".

- Novas regras para Cosa Nostra -Foi a primeira reunião desse tipo desde 1993, quando Riina foi preso, e teve como objetivo eleger os novos líderes para a distribuição de atividades ilícitas.

O procurador de Palermo, Francesco Lo Voi, disse aos jornalistas que durante a reunião os chefes mafiosos dos vários clãs e famílias definiram novas "regras", após a tirania de Riina, conhecido por seus métodos sangrentos, incluindo no interior da organização, que comandava desde 1970.

"Eles falaram sobre a necessidade de restabelecer certas regras que a 'Cosa Nostra' havia perdido ao longo do caminho, e que aplicavam menos por causa da desorganização geral", explicou Lo Voi.

Embora não se saiba onde ocorreu a reunião de cúpula, a conversa com seu motorista permitiu descobrir como a organização siciliana estava sendo reconstituída, envolvida no tráfico de drogas e no jogo de azar pela internet.

"No final da reunião, todos nos levantamos e nos beijamos", contou Colletti, entre os 30 "homens de honra" e padrinhos que compareceram.

O herdeiro do temido padrihno de Corleone, que não compareceu à reunião de maio, também é chamado de "tio Settimo" por seu estilo diplomático e equilibrado, e sua lealdade a 'Cosa Nostra'.

O novo chefe, que quase foi morto em 1982, como aconteceu com um de seus irmãos, cumpriu 5 anos de prisão no início de 1980, durante a época em que o juiz antimáfia Giovanni Falcone, assassinado em 1992, liderava a luta contra a organização criminosa.

Para o procurador federal antimáfia Federico Cafiero de Raho, Settimo Mineo estava prestes a assumir a organização por idade e carisma, e para evitar qualquer enfrentamento entre as novas gerações, particularmente com Matteo Messina Denaro, de 56 anos, que é foragido da justiça há mais de 20 anos e é considerado desde a morte de Riina como o herdeiro do chefe supremo da máfia siciliana.

bur-kv/age/mr