PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Israel aprova plano para mais de 2 mil casas nas colônias da Cisjordânia

Homem palestino observa a paisagem da Cisjordânia, no Oriente Médio - Getty Images
Homem palestino observa a paisagem da Cisjordânia, no Oriente Médio
Imagem: Getty Images

26/12/2018 13h08

Uma comissão do Ministério da Defesa israelense aprovou planos para construir cerca de 2.200 casas nas colônias ocupadas da Cisjordânia, anunciou nesta quarta-feira (26) o movimento que milita contra o projeto chamado "Paz Agora".

A questão das colônias é crucial na vida política de Israel em um momento em que o Parlamento se prepara para votar pela sua dissolução visando às eleições antecipadas em 9 de abril.

Com exceção de Jerusalém Oriental, a Cisjordânia não foi anexada por Israel e, por isso, não pertence a nenhum Estado desde a renúncia de soberania por parte da Jordânia em 1948. Seu domínio ainda depende de uma resolução - juntamente com a Faixa de Gaza - em futuras negociações entre israelenes e pelestinos. 

O que pensa Trump?

No ano passado, o presidente norte-americano Donald Trump afirmou ao jornal "Israel Hayom" que o desenvolvimento das colônias israelenses "não é bom para a paz".

Após 70 anos de conflito, Trump diz "querer a paz" e um acordo "bom para todas as partes". Mas israelenses e palestinos devem se mostrar "razoáveis", declarou ao jornal do magnata Sheldon Adelson, que apoia o governo de Netanyahu.

A chegada do bilionário à Casa Branca foi comemorada por Netanyahu como uma "chance formidável", após oito anos de "pressões" da administração de Barack Obama principalmente a respeito da colonização e do Irã.

Internacional