Topo

Equador nega deterioração de condições de vida de Assange em sua embaixada

2019-01-11T21:47:00

11/01/2019 21h47

Quito, 11 Jan 2019 (AFP) - O governo do Equador negou nesta sexta-feira (11) que haja uma deterioração das condições em que vive Julian Assange na embaixada do país em Londres, onde segundo versões da imprensa o fundador do WikiLeaks estaria sem calefação e dormindo no chão.

"São TOTALMENTE FALSAS e buscam afetar o tratamento do caso (sic)", expressou a secretaria de comunicação da Presidência em nota de imprensa, na qual rechaçou as "acusações sobre uma suposta deterioração das condições" de Assange como "asilado" na delegação equatoriana.

Em outubro passado, o Equador impôs um regulamento que fixa normas para as visitas, comunicações e inclusive aspectos de salubridade do australiano dentro da embaixada.

Em dezembro, um tribunal equatoriano rejeitou em segunda e última instância um pedido do criador do WikiLeaks para tornar estas normas sem efeito.

A secretaria de comunicação acrescentou que "o sistema de calefação da missão diplomática opera com normalidade, sem afetações aos funcionários, usuários, nem ao senhor Assange".

"Além disso, não se removeu o mobiliário algum de seu quarto, ao qual se tem acesso com uma chave eletrônica que é de uso exclusivo dele", destacou.

Assange, de 47 anos, está asilado desde 2012 na embaixada equatoriana em Londres, onde se refugiou para evitar então ser extraditado para a Suécia, que o procurava para responder a acusações de supostos crimes sexuais.

SP/rbv/mvv

Mais Internacional