Topo

Mexicanos mantidos como 'escravos modernos' no Canadá são libertados

11/02/2019 19h59

Montreal, 11 Fev 2019 (AFP) - Um grupo de 43 mexicanos foi libertado no Canadá após terem sido obrigados a trabalhar de forma quase gratuita em hotéis, como "escravos modernos", informou a polícia nesta segunda-feira (11).

Os trabalhadores, em sua maioria homens, tinham sido atraídos ao Canadá por traficantes que, em troca de uma grande soma de dinheiro, prometeram que poderiam estudar lá e obter vistos de trabalho e status de residência permanente.

Mas, uma vez lá, foram alojados em "condições sórdidas" em cidades do centro e do leste de Ontário e obrigados a trabalhar em hotéis da região, explicou a polícia em coletiva de empresa.

Os dois diretores de uma empresa de limpeza na área de Barrie, Ontário, que trabalhavam com hotéis na região, estão sendo investidos, mas não foram detidos. A polícia busca mais suspeitos e deve dar mais informações nos próximos dias.

"O tráfico de seres humanos é uma forma moderna de escravidão", explicou à imprensa o delegado adjunto Rick Barnum. "A exploração está no seio deste delito".

Os trabalhadores tinham que pagar por sua habitação, a comida e o transporte para os locais de trabalho. Seus salários eram controlados por seus empregadores, que às vezes davam menos de 33 dólares por mês.

"É impensável que isto tenha ocorrido em nossa comunidade", acrescentou o chefe da polícia de Barrie, Kimberley Greenwood.

Após uma investigação que mobilizou cerca de 250 agentes, os mexicanos recuperaram sua liberdade na semana passada. De acordo com Barnum, uma das vítimas disse à polícia: "Ontem fui a dormir como um escravo e esta manhã me levanto como um homem livre".

Todos os trabalhadores estavam em situação regular, informou a polícia. Nos últimos dias, eles receberam ofertas de emprego e foram realojados na área de Barrie.

et/jbe/leo/mps/cbr/ll/mvv

Mais Internacional