PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Pompeo condena violência na Venezuela e promete 'tomar medidas'

23/02/2019 22h51

Miami, 24 Fev 2019 (AFP) - O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, condenou neste sábado (23) a violência dos "assassinos" do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e prometeu "tomar medidas" para apoiar a democracia no país, depois da morte de duas pessoas nos distúrbios provocados pelo bloqueio violento à entrada de ajuda internacional ao país.

"Os Estados Unidos condenam os ataques a civis na Venezuela, realizados pelos assassinos de Maduro", escreveu Pompeo no Twitter.

Minutos depois, acrescentou: "Os Estados Unidos tomarão medidas contra aqueles que se opõem ao restabelecimento pacífico da democracia na Venezuela. Agora é o momento de agir para apoiar as necessidades do desesperado povo venezuelano".

"Denunciamos a negativa de Maduro de permitir que a assistência humanitária chegue à Venezuela", prosseguiu Pompeo, referindo-se aos distúrbios nas fronteiras com o Brasil e a Venezuela, onde os militares impediram a passagem de caminhões com comida e remédios.

Além disso, um navio que zarpou de Porto Rico e se dirigia neste sábado à Venezuela com 300 toneladas de ajuda humanitária precisou recuar devido às ameaças de fogo da Marinha venezuelana, informou o governador porto-riquenho, Ricardo Rosselló.

Um adolescente de 14 anos e um adulto foram mortos a tiros na fronteira com o Brasil, segundo a ONG Fórum Penal, crítica ao governo. Dois caminhões repletos de ajuda humanitária foram incendiados.

"Que tipo de tirano doente evita que comida chegue ao seu povo faminto? As imagens de caminhões cheios de ajuda queimando são repugnantes", tuitou Pompeo.

Twitter

Internacional