PUBLICIDADE
Topo

Internacional

'Ainda amamos este país', diz imã de mesquita atacada na Nova Zelândia

16/03/2019 00h52

Christchurch, Nova Zelândia, 16 Mar 2019 (AFP) - O imã que conduzia na sexta-feira as orações em uma das mesquitas atacadas por um homem armado na Nova Zelândia afirmou neste sábado que a relação dos muçulmanos com o país não será afetada.

"Ainda amamos este país", disse Ibrahim Abdul Halim, imã da mesquita de Linwood, na cidade de Christchurch, afirmando que os extremistas "nunca, jamais, vão abalar nossa confiança".

Na véspera, o extremista de direita australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, invadiu duas mesquitas na pacata Christchurch, onde matou 49 fiéis muçulmanos e feriu cerca de 50.

Halim recordou que as orações da tarde de sexta-feira transcorriam normalmente quando foram ouvidos os primeiros disparos efetuados pelo extremista fortemente armado.

"Todos se jogaram no chão, algumas mulheres começaram a chorar, e teve gente que morreu imediatamente".

Mas os muçulmanos neozelandeses ainda se sentem seguros nesta nação. "Meus filhos vivem aqui. Somos felizes".

Halim destacou que a maioria dos neozelandeses "esteve pronta de imediato para apoiar todos nós" muçulmanos, "nos dar sua solidariedade plena".

Neste sábado, muitas pessoas desconhecidas se aproximaram para manifestar seu apoio e abraçá-lo, revelou o imã.

"Começaram a nos abraçar, manifestar solidariedade. Isto é muito importante para nós", destacou Halim.

bur-arb/lr

Internacional