PUBLICIDADE
Topo

Parte do centro-oeste dos EUA sofre com inundações históricas

18/03/2019 22h33

Chicago, 19 Mar 2019 (AFP) - O centro-oeste dos Estados Unidos enfrenta inundações históricas que custaram a vida de pelo menos duas pessoas, causaram o deslocamento de uma parte da população e danificaram centenas de residências e negócios.

As enchentes afetaram Nebraska e partes de Iowa e Wisconsin. Todos essas unidades federativas estão em estado de emergência depois de uma grande tempestade na semana passada de chuva e neve, cujo derretimento causou um aumento nos níveis de bacias hidrográficas na área.

Os estados vizinhos também poderão ser afetados na semana à medida que água for escoando, disseram autoridades.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descreveu as inundações como "devastadoras" e disse que a Casa Branca permanecerá em um contato com funcionários dos estados.

"Nossas preces estão com o povo de Dakota do Sul", escreveu o presidente no Twitter.

Em outra mensagem na rede social, Trump se dirigiu aos residentes de Iowa: "Apoiamos e agradecemos a todos os socorristas que trabalham há longas horas para ajudar o grande povo de Iowa!".

- Inundações históricas -O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS, pelas siglas em inglês) descreveu a cheia como "grande" e "histórica", e previu que grandes áreas do centro do país continuarão alagadas.

"As advertências e avisos de inundações são válidos para as planícies, o vale do Mississippi e nas zonas ao oeste da região do vale de Ohio, com focos em Nebraska e no oeste de Iowa", de acordo com o NWS.

"Mais ao oeste e ao norte, também é possível que ocorram alagamentos nas planícies do noroeste e do norte, já que o derretimento do gelo continua".

No Nebraska, foram registradas inundações em 17 localidades que poderiam durar uma semana, segundo as autoridades. No estado dez refúgios da Cruz Vermelha estavam operando para atender os desalojados.

A água deve atingir seu ponto mais alto, de 14 metros, no rio Missouri, quebrando o recorde de 2011 em mais de 30 centímetros.

"As comparações com 2011 são inevitáveis", disse o Serviço Meteorológico Nacional de Iowa, acrescentando que "nestas inundações houveram muitos mais resgates e danos mais dispersos no leste do Nebraska e oeste de Iowa".

Moradores locais disseram que não havia diques para conter as inundações que danificaram casas e estabelecimentos comerciais em muitas comunidades.

- Base militar debaixo d'água -

Cinquenta e quatro cidades do Nebraska declararam estado de emergência, incluindo quatro reservas indígenas.

Em Fremont, uma cidade com mais de 25 mil habitantes, ficou completamente alagada durante o fim de semana e ficou isolada e sem ajuda. Após os trabalhos de desobstrução da estrada é que os primeiros recursos de assistência e equipes de resgate chegaram à localidade nesta segunda.

Pelo menos trinta cidades em Iowa também estavam em estado de emergência.

Em Wisconsin, as estradas foram fechadas e mais de 200 pessoas tiveram que ser evacuadas.

Um terço da base da Força Aérea Offutt em Nebraska ficou debaixo d'água, que não deve escoar até quinta-feira.

"É importante entender que isto vai levar semanas e meses para ser recuperado, o que vai demandar muito esforço", informou um dos líderes da base, Kevin Humphrey, em um comunicado.

Três pessoas morreram na semana passada durante o momento mais intenso da tempestade. Um fazendeiro de Nebraska morreu na quinta-feira tentando resgatar um motocilista, de acordo com o Omaha World-Herald. Aleido Rojas Galan, de 55 anos, morreu sexta-feira em Iowa quando seu veículo foi arrastado pela corrente de água, informou a estação de TV KETV. A trceira vítima não foi identificada.

nov/jm/lp/gv/mr/lca