PUBLICIDADE
Topo

Nova Zelândia proíbe venda de fuzis e armas longas semiautomáticas

Primeira-minisra Jacinda Ardern classificou os atentados em Christchurch como "um ato de terror"  - Image caption
Primeira-minisra Jacinda Ardern classificou os atentados em Christchurch como 'um ato de terror' Imagem: Image caption

20/03/2019 23h33

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou nesta quinta-feira (noite de quarta-feira no Brasil) a proibição imediata da venda de fuzis de assalto e outras armas longas semiautomáticas no país, em resposta ao ataque contra duas mesquitas em Christchurch, que deixaram 50 mortos.

"Anuncio que a Nova Zelândia proibirá todas as armas semiautomáticas de estilo militar. Também proibiremos todos os fuzis de assalto", disse Ardern, que também anunciou medidas provisórias para evitar uma enxurrada de compras antes da entrada em vigor da proibição.

Na sexta-feira passada, o supremacista branco australiano Brenton Tarrant utilizou um fuzil de assalto nos ataques contra duas mesquitas de Christchurch, em um massacre transmitido ao vivo pelo agressor no Facebook.

Internacional