PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Polícia da Nova Zelândia entrevistou atirador de Christchurch para posse de fuzil

21/03/2019 23h10

Christchurch, Nova Zelândia, 22 Mar 2019 (AFP) - A polícia da Nova Zelândia revelou nesta sexta-feira que entrevistou o autor do massacre nas mesquitas de Christchurch em outubro de 2017, antes de lhe conceder a licença para a compra das armas utilizadas no ataque.

O australiano Brenton Tarrant, um supremacista branco declarado, pediu licença para as armas em setembro de 2017, e uma equipe "de controle de armas de fogo" da polícia o visitou em sua casa em Dunedin um mês depois, revelou um oficial.

"Um dos passos para conseguir uma licença de armas de fogo é uma visita ao domicílio do solicitante para conhecê-lo e inspecionar a segurança de sua propriedade", explicou o oficial.

A equipe da polícia entrevistou Tarrant e realizou uma "inspeção de segurança" em sua casa. "Após isto, revisou toda a informação disponível e, em novembro de 2017, aprovou a licença".

Tarrant proporcionou os nomes de outros dois residentes na Nova Zelândia, os quais a polícia também entrevistou, "cumprindo as exigências do processo", destaca o oficial.

Segundo as autoridades, Tarrant adquiriu legalmente várias armas em dezembro de 2017, entre elas dois fuzis de assalto semiautomáticos, duas escopetas e uma carabina, arsenal que utilizou no ataque contras as duas mesquitas, que em 15 de março deixou 50 mortos e 50 feridos.

Tarrant está preso sob a acusação de assassinato.

Seis dias após o ataque, a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou uma proibição imediata dos fuzis de assalto e de outras armas semiautomáticas longas.

Nesta sexta-feira, milhares de neozelandeses rezaram e observaram dois minutos de silêncio em memória das vítimas do massacre.

O atirador "partiu os corações de milhões de pessoas, em todo o mundo", disse o imã Gamal Fouda, encarregado da tradicional oração muçulmana de sexta-feira.

"Hoje, do mesmo local (do massacre), olho e vejo amor e compaixão. A Nova Zelândia é imbatível".

dm/ecl/lr

Internacional