PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Jovem que escapou do massacre de Parkland se suicida por conta da síndrome do sobrevivente

22/03/2019 20h19

Miami, 22 Mar 2019 (AFP) - Sydney Aiello, de 19 anos, que saiu ilesa do tiroteio numa escola em Parkland, sul da Flórida, onde morreram 17 pessoas, se suicidou motivada pela "síndrome do sobrevivente", informou a imprensa local nesta sexta-feira.

Aiello assistia a uma aula na escola Marjory Stoneman Douglas no dia 14 de fevereiro de 2018, quando um ex-aluno armado com um fuzil de assalto AR15 disparou contra estudantes e funcionários.

Entre os mortos estavam dois dos melhores amigos de Aiello, Meadow Pollack e Joaquín Oliver.

Os pais da jovem disseram na quinta-feira à emissora de TV CBS4 que ela se matou porque sofria da síndrome do sobrevivente, um quadro de estresse pós-traumático desencadeado e sustentado pela culpa de ter passado por um ato de violência e ter sobrevivido.

Aiello concluiu o ensino secundário em julho do ano passado e participava de aulas de yoga orientadas para sanar os efeitos do trauma.

A jovem também estava envolvida com o movimento nacional contra as armas iniciado pelos estudantes após esse massacre no estado da Flórida e que alcançou algumas mudanças na legislação.

O pai de Meadow, Andrew Pollack, disse ao jornal local Miami Herald que seu coração está "com os pobres, pobres pais".

"Foi terrível o que aconteceu. Meadow e Sydney eram amigas há muito tempo", disse Pollack.

lm/ltl/lca

Internacional