PUBLICIDADE
Topo

Purdue Pharma consegue acordo em processo milionário por opioides nos EUA

26/03/2019 20h12

Chicago, 26 Mar 2019 (AFP) - A farmacêutica norte-americana Purdue Pharma, acusada de promover a epidemia de dependência de opioides com seu analgésico OxyContin, chegou a um acordo sobre um processo milionário movido pelo estado de Oklahoma, informou a mídia dos EUA na terça-feira.

O acordo relatado foi o primeiro do tipo a abordar a crise do vício nos Estados Unidos, que mata 130 pessoas por dia.

A maior parte do dinheiro irá para o estabelecimento de um centro de pesquisa e tratamento de dependência na Universidade Estadual de Oklahoma, disse Purdue em um comunicado à imprensa.

A fabricante de medicamentos também concordou em não promover ou comercializar opioides no estado, já que era uma "parte não negociável" do acordo, disse o Procurador Geral de Oklahoma, Mike Hunter.

"O acordo de hoje é apenas o primeiro passo em nosso objetivo final de acabar com essa epidemia de pesadelo", acrescentou.

Hinter processou a Purdue Pharma, a Johnson & Johnson e a Teva, as principais fabricantes de analgésicos opioides no país, por propaganda enganosa em 2017.

O Wall Street Journal informou que a Purdue e seus proprietários concordaram em pagar cerca de 270 milhões de dólares. A CNBC confirmou que um acordo havia sido alcançado.

A Purdue Pharma, uma empresa com sede em Connecticut e origem da fortuna da famosa família Sackler, enfrenta centenas de processos nos Estados Unidos, especialmente de estados e municípios, que alegam que o OxyContin causa dependência.

nov/jm/ad/ll/yow