PUBLICIDADE
Topo

Yale expulsa estudante envolvida em fraudes de admissão

27/03/2019 13h40

Nova York, 27 Mar 2019 (AFP) - A Universidade de Yale expulsou uma estudante que tinha sido admitida, porque seus pais pagaram mais de 1 milhão de dólares - a primeira medida deste tipo desde que o escândalo sobre a admissão em faculdades americanas foi desencadeado, no começo do mês.

Até agora, cerca de 50 pessoas foram acusadas de farsa para ajudar filhos da elite americana a ingressar nas escolas de mais alto nível dos Estados Unidos.

Entre eles, estão treinadores esportivos que deram falsas recomendações, administradores universitários que manipularam os testes determinantes para a admissão e 33 pais acusados de pagar propinas - que somam 6,5 milhões de dólares, ao todo - para garantir a admissão de seus filhos.

Em um comunicado publicado nesta terça-feira em seu site, Yale disse que, em meados de novembro, soube pela primeira vez da fraude, quando o gabinete do procurador-geral em Boston pediu informações sobre o treinador de futebol feminino, Rudy Meredith.

De acordo com a universidade, Meredith, que saiu de Yale pouco antes de as autoridades pedirem a informação, deu recomendações de atletismo fraudulentas em "apenas dois" casos.

Uma das solicitantes foi aceita em Yale em janeiro de 2018, após seus pais pagarem 1,2 milhão de dólares em propinas, segundo a acusação contra Meredith.

O treinador também recebeu 400.000 dólares de um intermediário que organizou o acordo, embora não esteja claro se a família da estudante contribuiu nesta soma e com quanto.

"Yale investigou as acusações e foi rescindida a admissão da estudante que recebeu o aval fraudulento", disse o comunicado.

A universidade disse que a lei de confidencialidade e a política de Yale a impedem de publicar o nome dos estudantes, que foram identificados indiretamente como "Solicitante 1" e "Solicitante 2".

Yale acrescentou que isso levou a universidade a fazer uma revisão para saber se há mais envolvidos e que contratará assessores externos para recomendarem medidas de prevenção de fraudes nos futuros processos de admissão.

Meredith vai depor na corte federal de Boston, onde enfrenta duas acusações de fraude.

Treinadores esportivos de outras instituições públicas e privadas altamente qualificadas, como a Universidade da Califórnia em Los Angeles, a UCLA, e a Georgetown foram envolvidos no escândalo.

O caso chegou a celebridades americanas, como as atrizes Felicity Huffman e Lori Loughlin, e a altos executivos de empresas, lançando luz sobre o processo de admissão em universidades nos Estados Unidos, altamente competitivo.

cat/hh/ia/wdb/lp/ll/tt