Topo

ONG afirma que eleições de 2018 na Hungria foram marcadas por 'fraudes'

2019-05-18T12:17:00

18/05/2019 12h17

Budapeste, 18 Mai 2019 (AFP) - As eleições legislativas de abril de 2018, que permitiram ao primeiro-ministro Vikor Orban obter um terceiro mandato, foram marcadas por "fraudes", particularmente na forma de intimidação de eleitores, denunciou uma ONG húngara neste sábado.

Em um relatório, a organização Unhack Democracy Europe sustenta que o partido nacional-conservador de Viktor Orban obteve quase metade dos votos e dois terços dos assentos no Parlamento através de múltiplas irregularidades e fraudes.

A ONG cita o transporte de eleitores de países vizinhos, incluindo da Ucrânia, a intimidação ou corrupção de eleitores, especialmente em povoados menores, a falsificação de votos por correspondência ou o desaparecimento de votos.

Esses elementos geram "sérias" preocupações sobre a integridade das eleições europeias que acontecem na Hungria em 26 de maio, diz a ONG em seu relatório.

"A mesma autoridade eleitoral que esteve à frente das eleições marcadas por irregularidades no ano passado voltará a apurar os resultados", alerta um especialista citado no relatório.

Questionado, o serviço de imprensa do governo absteve-se de comentar este relatório.

Fidesz, o partido de Orban, lidera as pesquisas com 50% das intenções de voto.

A Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) estimou em um relatório após as legislaturas húngaras de 2018 que a eleição ocorreu em condições satisfatórias, embora a capacidade dos eleitores de votar com pleno conhecimento da causa fosse dificultada pela "retórica xenofóbica prevalecente e parcialidade da mídia".

pmu/mra/sg/me/age/mr

Mais Internacional