Topo

Macron quer 'Convenção Fundadora' da UE após eleições

20/05/2019 21h20

Paris, 21 Mai 2019 (AFP) - O presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu nesta segunda-feira a celebração de uma "convenção fundadora europeia" após as eleições desta semana para o Parlamento Europeu, e declarou ver "pela primeira vez uma conivência entre nacionalistas e interesses estrangeiros" para desmantelar o bloco.

"Quero uma convenção fundadora europeia após as eleições. Que os líderes de Estado e de Governo com o novo Executivo e os responsáveis do Parlamento, junto aos cidadãos, se concentrem em definir a estratégia da Europa para os próximos cinco anos, incluindo as mudanças de tratados que querem alcançar", declarou o chefe de Estado francês em entrevista concedida à imprensa regional.

As eleições entre 23 e 26 de maio na União Europeia (UE) "são as mais importantes desde 1979 [quando a Eurocâmara foi eleita por voto universal pela primeira vez] porque a União enfrenta um risco existencial", avaliou Macron.

O presidente francês afirmou que vê "pela primeira vez uma conivência entre os nacionalistas e os interesses estrangeiros, que têm por objetivo desmantelar a Europa", e citou a influência de Steve Bannon, ex-conselheiro de Donald Trump, e do financiamento russo aos "partidos radicais".

"Não misturo os Estados com determinados indivíduos, apesar dos grupos de influência americanos e os oligarcas russos mostrarem aproximação com certos governos".

A extrema direita 'eurofóbica', os conservadores eurocéticos e os populistas esperam aumentar sua representação nas eleições desta semana, que renovarão as 751 cadeiras da Eurocâmara.

Segundo as pesquisas, estes partidos elegerão 173 eurodeputados, contra 154 em 2014.

leb-ib/lr

Mais Internacional