Topo

OSDH não encontra provas de ataque químico no noroeste da Síria

22/05/2019 07h42

Beirute, 22 Mai 2019 (AFP) - O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) afirmou nesta quarta-feira que não encontrou "provas" suficientes do suposto ataque químico na região noroeste da Síria cometido no domingo passado pelo regime sírio, como denunciou Washington.

O grupo jihadista Hayat Tahrir Al Sham (HTS), dominado por membros do ex-braço sírio da Al-Qaeda, acusou no domingo, por meio de seu órgão de propaganda Eba, as forças pró-regime sírias por um ataque com cloro contra seus combatentes na zona norte da província de Latakia.

"Não temos nenhuma prova do ataque", afirmou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH, ONG que tem uma ampla rede de fontes do país.

"Não dispomos de informação de nenhum ataque químico nas montanhas de Latakia", completou.

O governo dos Estados Unidos afirmou na terça-feira ter "indícios" que apontam para um "ataque" químico cometido pelo regime de Bashar al-Assad e ameaçou adotar represálias.

O exército sírio negou o suposto ataque e acusou um caso "fabricado".

Desde o início da guerra na Síria em 2011 foram registrados vários ataques químicos, alguns deles confirmados pela ONU.

ho/bek/hj/eb/al/fp

Mais Internacional