Topo

Refém italiano é solto na Síria

22/05/2019 15h55

Roma, 22 Mai 2019 (AFP) - Sequestrado em 2016 na fronteira entre Síria e Turquia, o italiano Alessandro Sandrini foi libertado - anunciou o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, nesta quarta-feira (22).

"Nosso compatriota Alessandro Sandrini foi libertado, graças a uma ação coordenada em um país estrangeiro", declarou Conte em um breve comunicado.

O pai do refém disse à imprensa que a libertação aconteceu na Síria.

"Meu filho já está livre. Está na Síria, nas mãos dos nossos carabineiros. Estou feliz. Acabou o pesadelo", afirmou Gianfranco Sandrini.

De 32 anos, nascido em Brescia, ao norte da Itália, Alessandro foi sequestrado em outubro de 2016, quando estava de férias em Adana, na Turquia, perto da fronteira com a Síria.

Tomou-se conhecimento de seu sequestro apenas um ano depois, quando apareceu em um vídeo, de uniforme laranja, de joelhos e pedindo ajuda.

"Estou cansado. Vão me matar, se isso não se resolver em pouco tempo. Não vejo futuro", dizia, após suplicar por ajuda.

Segundo o jornal italiano "La Repubblica", Sandrini foi levado como refém por um grupo criminoso especializado. Para garantir sua segurança, um mediador se encarregou das negociações para soltá-lo e entrou em contato com o governo italiano para sua entrega.

O nome de Sandrini veio à tona durante seu sequestro em uma investigação da polícia italiana pelo roubo em outubro de 2016 de computadores, em um bar do norte da Itália, pouco antes de sua viagem à Turquia.

Por isso, é possível que seu retorno à Itália seja submetido a um julgamento por roubo e venda de objetos roubados. De acordo com a imprensa local, os juízes devem sentenciá-lo à prisão domiciliar.

A libertação do italiano foi anunciada inicialmente por forças antigoverno da zona síria de Idlib.

Nenhuma fonte menciona se houve pagamento de resgate por sua libertação.

kv/mb/tt

Mais Internacional