Topo

Seis mortos em confrontos na Indonésia após anúncio do resultado eleitoral

22/05/2019 10h43

Jacarta, 22 Mai 2019 (AFP) - Ao menos seis pessoas morreram nesta quarta-feira em confrontos entre a polícia e partidários da oposição em Jacarta, que está sob forte esquema de segurança um dia após o anúncio dos resultados das eleições presidenciais.

Algumas vítimas "sofreram ferimentos à bala, outras golpes, mas a situação ainda precisa ser esclarecida", explicou à imprensa o chefe da Polícia Tito Karnavian, baseando-se em informações dos serviços médicos e das forças de segurança.

Karnavian disse que a polícia não usou munição real contra os manifestantes, simpatizantes de Prabowo Subianto, o candidato derrotado, que contestam sua derrota para o atual presidente Joko Wibodo.

A polícia prendeu 70 manifestantes, segundo fontes da segurança, que atribuíram os confrontos na capital indonésia a "agitadores".

O governador de Jacarta, Anies Basdew, falou esta manhã de 200 feridos desde o início, em vários pontos de Jacarta, dos confrontos entre partidários da oposição e policiais após o anúncio na terça-feira dos resultados oficiais das eleições presidenciais.

A polícia de choque recorreu a gás lacrimogêneo e canhões de gás para dispersar os manifestantes, que atiraram pedras e foguetes contra as forças de segurança.

Outros manifestantes queimaram uma dúzia de carros e algumas bancas de comerciantes, segundo fotógrafos da AFP.

As autoridades fecharam uma importante estação de trem e várias estradas que dão acesso ao distrito onde estão localizados a comissão eleitoral e o órgão de supervisão eleitoral (Bawaslu) foram bloqueadas.

Escolas, shoppings e algumas empresas também fecharam nesta quarta-feira por precaução.

Alguns partidários do candidato da oposição se recusam a reconhecer sua derrota e acusam as instituições encarregadas de organizar as eleições de fraude.

"Tenho que defender a soberania da República da Indonésia. Houveram fraudes maciças nessas eleições", disse Puji Astuti, um manifestante de 42 anos, à AFP.

Como aconteceu durante toda a campanha eleitoral, notícias falsas circularam nas redes sociais. Uma fotografia amplamente compartilhada mostrava membros das forças de segurança com olhos puxados e um comentário que dizia que eles eram "policiais chineses" que não hesitariam em atirar em manifestantes, mesmo em mesquitas.

"Dizem que os agentes da polícia móvel são estrangeiros porque têm olhos puxados. Mas isso não é verdade, eles são indonésios", assegurou o porta-voz.

Vários aliados do candidato perdedor foram presos como, por exemplo, o comandante das forças especiais que tentou fornecer armas aos manifestantes, segundo o governo.

As autoridades mobilizaram mais de 30 mil policiais em Jacarta antes do anúncio oficial dos resultados de uma eleição altamente acirrada.

Segundo a recontagem eleitoral anunciada na terça, o presidente Joko Widodo, apelidado de "Jokowi", obteve 55,5% dos votos, contra 44,5% para o ex-general Prabowo Subianto.

Este último contesta os resultados e denuncia casos de fraude, não confirmados pelo órgão de supervisão eleitoral ou por observadores independentes.

bur/pb-lgo/cr/eb/mb/mr

Mais Internacional