Topo

As eleições europeias, em números

2019-05-23T08:53:00

23/05/2019 08h53

Bruxelas, 23 Mai 2019 (AFP) - Os cidadãos europeus são esperados nas urnas, pela nona vez na história, para escolher seus representantes no Parlamento Europeu, de 23 a 26 de maio.

Confira abaixo alguns números dessas eleições:

- 427 milhões de eleitores -A Eurocâmara estima em 427 milhões o número de cidadãos em idade de participar da votação, o que faz desse pleito o segundo com mais eleitores no mundo, atrás apenas das legislativas na Índia.

Na maioria dos 28 países europeus, a idade mínima para exercer o direito ao voto é 18 anos. Os gregos podem votar a partir dos 17, e austríacos e malteses, com 16 anos.

- 42,6% de participação -Em 2014, as eleições europeias registraram seu pior índice de participação, chegando a 42,6%.

Desde as primeiras eleições, em 1979, quando pelo menos 62% dos eleitores foram às urnas, a abstenção aumentou progressivamente. Em 1999, a participação ficou abaixo de 50%.

Em 2015, Bélgica (89,7%) e Luxemburgo (85,6%) registraram a maior taxa de participação. O voto é obrigatório em ambos os países, assim como na Bulgária, no Chipre e na Grécia.

Três países da antiga esfera de influência soviética - Eslováquia (13,1%), República Tcheca (18,2%) e Polônia (23,8%) - registraram o índice mais baixo de comparecimento.

- 751 cadeiras -Os cidadãos vão eleger um total de 751 representantes para o Parlamento Europeu, distribuídos segundo o número de habitantes em cada país: dos 96, da Alemanha, até seis, de Luxemburgo.

Quando o Reino Unido deixar a UE, o Parlamento contará com apenas 705 cadeiras, já que uma parte dos britânicos será suprimida, e outra, distribuída entre outros países. França e Espanha ganharão mais cinco assentos.

Apesar da incerteza sobre a data de saída dos britânicos, os países que ganharem cadeiras com o Brexit devem prever a eleição desses eurodeputados adicionais. Eles assumirão o cargo apenas após a retirada dos britânicos.

- 53 anos -Segundo os cálculos do Parlamento Europeu, a idade média dos eurodeputados durante as eleições de 2014 foi de 53 anos. Em 2019, os europeus votarão em um dinamarquês de 26 anos e em um grego de 91.

Em mais da metade dos países, a idade mínima para se candidatar é 18 anos, mas alguns países têm regras mais drásticas. Na Itália e na Grécia, a idade mínima é 25 anos e, na Romênia, 23.

- 36,9% de mulheres -As eleições de 2014 também registraram a maior proporção de mulheres eleitas eurodeputadas: 36,9%.

Desde a primeira edição, em 1979, onde a Eurocâmara contava com apenas 16,3% de mulheres, este percentual continuou aumentando.

Em cinco países da UE, o número de eurodeputadas é igual, ou maior, do que o de homens: Finlândia (10 de 13), Irlanda (6/11), Croácia (6/11), Malta (3/6) e Suécia (10/20).

Chipre (1/6), Bulgária (3/17) e Lituânia (2/11) registram o menor número de eurodeputadas, em comparação com os colegas do sexo masculino.

zap-tjc/mar/tt

Mais Internacional