Topo

Tribunal internacional marítimo pede que Moscou liberte marinheiros ucraniano

2019-05-25T08:48:00

25/05/2019 08h48

Berlim, 25 Mai 2019 (AFP) - O tribunal marítimo internacional de Hamburgo pediu neste sábado (25) à Rússia que liberte "imediatamente" os 24 marinheiros ucranianos e os três navios apreendidos em novembro após um incidente naval.

"A Federação Russa deve libertar imediatamente os 24 militares ucranianos em detenção e permitir que eles retornem à Ucrânia", declarou Jin-Hyun Paik, presidente deste tribunal que supervisiona a implementação da Convenção da ONU sobre Direitos Marítimos.

Em sua ordem, os juízes também exigem que a Rússia devolva "imediatamente" a Kiev os três navios militares apreendidos durante a sua passagem pelo Estreito de Kerch, ao largo da Crimeia, a península ucraniana anexada por Moscou em 2014.

O tribunal localizado na cidade portuária de Hamburgo, na Alemanha, foi acionado pela Ucrânia em abril, mas o processo foi boicotado pela Rússia, que nega qualquer jurisdição desta instância neste caso.

"A ordem judicial é um sinal claro para a Rússia de que não pode violar a lei internacional com impunidade", afirmou Olena Zerkal, vice-ministra ucraniana das Relações Exteriores, em sua conta no Facebook.

Ela disse esperar que Moscou "cumpra rapidamente e plenamente" a ordem judicial.

O caso remonta a novembro de 2018, quando a Rússia, denunciando uma "agressão", apreendeu os três navios, alegando que haviam entrado ilegalmente em águas russas.

A Ucrânia alega ter alertado seu vizinho sobre a rota de seus navios próximos ao Estreito de Kerch e acusa a Rússia de violar a lei internacional.

ilp/tmo/mr

Mais Internacional