PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Senador americano critica transferência de conhecimentos nucleares à Arábia Saudita

05/06/2019 06h12

Washington, 5 Jun 2019 (AFP) - O governo americano aprovou a transferência de conhecimentos técnicos nucleares à Arábia Saudita em duas ocasiões após o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, afirmou um senador democrata.

As duas aprovações integram as sete vezes, desde dezembro de 2017, em que o governo de Donald Trump aprovou tais transferências, informou o senador Tim Kaine.

Membro do Comitê de Relações Exteriores do Senado, Kaine pressionava o Departamento de Energia desde março para obter informações sobre as transferências ao reino.

Após dois meses, o senador recebeu uma resposta.

Uma das transferências foi aprovada em 18 de outubro de 2018, 16 dias depois de Khashoggi, um saudita com status de residente nos Estados Unidos, foi assassinado e esquartejado dentro do consulado saudita em Istambul.

A segunda vez após a morte do jornalista aconteceu em 18 de fevereiro de 2019, afirmou Kaine.

Agentes de inteligência americanos afirmaram acreditar que o príncipe herdeiro Mohamed bin Salman ordenou o assassinato, mas Trump se recusou a condenar MBS (como o príncipe saudita é conhecido).

No mês passado, Trump evitou o Congresso para autorizar uma venda de armas aos sauditas, que lideram uma coalizão que luta contra os rebeldes huthis no Iêmen.

"O entusiasmo do presidente Trump por dar aos sauditas tudo o que desejam, passando por cima da objeção bipartidária do Congresso, prejudica os interesses de segurança nacional dos Estados Unidos e é um dos muitos passos que a administração está tomando e que alimentam uma perigosa escalada de tensão na região", afirmou Kaine em um comunicado.

dw/dw/ind/jah/gv/fp

Internacional