Topo

Noiva de Khashoggi pede investigação internacional sobre assassinato do jornalista

25/06/2019 11h44

Genebra, 25 Jun 2019 (AFP) - A noiva turca do jornalista saudita Jamal Khashoggi pediu nesta terça-feira (25) uma investigação internacional sobre o assassinato "premeditado" do dissidente, atribuído por uma relatora da ONU a altos funcionários da Arábia Saudita.

Khashoggi foi morto em outubro passado por agentes sauditas no consulado da Arábia Saudita em Istambul, aonde tinha ido para preparar os documentos para seu casamento com Hatice Cengiz. Ele era colaborador do jornal "The Washington Post" e residia nos Estados Unidos.

"Há uma necessidade urgente de uma investigação internacional sobre esse assassinato", disse Cengiz, à margem de um Conselho de Direitos Humanos em Genebra.

Há poucos dias, uma relatora da ONU afirmou que existem provas suficientes da responsabilidade do príncipe herdeiro saudita Mohamed Bin Salman no assassinato do jornalista. A especialista pediu sanções e uma investigação internacional.

Para a relatora especial da ONU Agnès Callamard, em 19 de junho, o reino saudita é "responsável" pela "execução extrajudicial" de Khashoggi.

Por meio do número dois de sua diplomacia, a Arábia Saudita afirmou que as acusações da relatora eram "infundadas".

A noiva de Kashoggi disse hoje que a abertura de uma investigação criminal internacional para este caso "pode confirmar a legitimidade das Nações Unidas".

nl/bs/boc/me/mb/mr/tt

Mais Internacional