Topo

Camboja condena tradutor acusado de criar "notícia falsa"

27/06/2019 06h08

Phnom Penh, 27 Jun 2019 (AFP) - Um tradutor cambojano que trabalhou para o canal russo RT em um documentário sobre o tráfico de prostitutas menores de idade no Camboja foi condenado nesta quinta-feira a dois anos de prisão por esta reportagem, considerada pelas autoridades cambojanas uma "notícia falsa".

Rath Rott Mony foi contratado pelo RT para a reportagem "My mother sold me" ("Minha mãe me vendeu"), sobre o tráfico de adolescentes vendidas como trabalhadoras do sexo neste país com um regime autoritário.

O tradutor e guia foi considerado culpado de "criar 'fake news' com o objetivo de prejudicar a reputação do país", anunciou o porta-voz do governo, Phay Siphan.

Moy foi acusado de pagar as jovens que aceitaram dar seus depoimentos.

"Isto não é uma condenação por ter falado de tráfico sexual [...] É uma mensagem ao público para que pare com as 'notícias falsas'", disse o porta-voz.

No documentário de 30 minutos, exibido em outubro de 2018, a equipe da RT acompanhou várias adolescentes vendidas por suas famílias.

A emissora não respondeu aos pedidos da AFP de comentários sobre a condenação do tradutor.

suy-dhc-dth/ra/pb/fp

Internacional