Topo

Diplomata turco é morto no Curdistão iraquiano

17/07/2019 15h14

Ancara, 17 Jul 2019 (AFP) - Três pessoas, incluindo um diplomata turco, foram mortas nesta quarta-feira no ataque a um restaurante em Erbil, capital do Curdistão iraquiano, informou um agente da polícia à AFP.

O governo turco reconheceu a morte de "um funcionário" e prometeu "uma resposta apropriada aos autores deste ataque covarde", disse o porta-voz do presidente Recep Tayyip Erdogan, Ibrahim Kalin, no Twitter.

No início desta tarde, um homem armado atirou contra um grupo de funcionários do consulado geral em um restaurante em um bairro movimentado de Erbil, matando o vice-cônsul turco, disse à AFP um policial que preferiu não se identificar.

O policial acrescentou que o autor dos disparos fugiu. Segundo testemunhas, pontos de controle foram estabelecidos em torno do bairro Ainkawa, onde muitos restaurantes estão localizados.

"Um funcionário do consulado turco e um civil morreram, enquanto outro civil ficou ferido", informaram as forças de segurança curdas iraquianas.

O ataque, em uma região iraquiana onde a Turquia tem bases militares, não foi reivindicado.

O ministério das Relações Exteriores turco confirmou a morte de um "funcionário" do seu consulado em Erbil, indicando que a vítima "caiu como um mártir".

O próprio presidente turco condenou o ataque ao Twitter. "Continuamos nossos esforços juntamente com as autoridades locais para encontrar os autores deste ataque o mais rápido possível", disse ele.

Os Estados Unidos condenaram firmemente na quarta-feira o ataque, que consideraram um ato de "violência gratuita".

"Condenamos nos termos mais enérgicos o ataque de hoje em Erbil, em que pelo menos um diplomata turco foi assassinado. Não pode ter justificativa para este ato de violência gratuita", afirmou em comunicado o secretário de Estado, Mike Pompeo, que reafirmou o "compromisso dos Estados Unidos de apoiar os governos e povos de Turquia e Iraque".

Um porta-voz do braço armado do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Dyar Denir, afirmou não ter relação com este tiroteio.

Contudo, vários especialistas iraquianos apontaram a provável responsabilidade do PKK - que está presente ao longo da porosa fronteira com a Síria - no atentado desta quarta-feira.

Em particular, recordaram que o PKK anunciou recentemente a morte de alguns comandantes curdos durante incursões turcas.

Em maio, as tropas turcas realizaram uma ofensiva aérea e terrestre na região contra esconderijos do PKK.

gkg/lsb/bc/mb/cn/mr/cc

Mais Internacional