Topo

Almagro pede à OEA designar o Hezbolah como organização terrorista

19/07/2019 10h32

Washington, 19 Jul 2019 (AFP) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, pediu nesta quinta-feira que o movimento xiita libanês Hezbolah seja tratado como "grupo terrorista", no dia em que completam 25 anos do atentado contra a entida judaica Amia em Buenos Aires, cuja autoria a Argentina atribui ao grupo extremista.

O pedido de Almagro surge no mesmo dia em que o governo argentino incluiu o Hezbolah na lista de grupos terroristas, congelando todos os seus bens e os de seus líderes como "uma ameaça atual e vigente à segurança nacional e à integridade da ordem econômica financeira" do país, segundo um comunicado oficial.

Em discurso perante o Conselho Permanente da OEA, que reúne os representantes dos 34 membros ativos do bloco regional, Almagro manifestou suas condolências à Argentina pelo pior atentado terrorista de sua história, que deixou 85 mortos e permanece impune, e convocou a adoção de medidas para impedir que algo assim aconteça novamente.

A Argentina culpa pelo ataque à sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia) funcionários da alta hierarquia do governo hiraniano, entre eles o ex-presidente Ali Rafsanjani, e o Hezbolah, que negam o envolvimento.

Segundo a declaração da Unidade de Informação Financeira (UIF) da Argentina, o Hezbolah já foi designado como "organização terrrorista" pelos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Israel, Holanda e a União Europeia.

ad/gma/lca

Mais Internacional