Topo

Líder do Podemos aceita não entrar em governo de Sánchez na Espanha

19/07/2019 15h48

Madri, 19 Jul 2019 (AFP) - O líder do partido de esquerda Podemos, Pablo Iglesias, aceitou nesta sexta-feira (19) não fazer parte de um futuro governo de Pedro Sánchez, o que pode abrir caminho para a reeleição do socialista em aliança com essa formação.

O chefe de governo afirmou, na quinta, que não queria Iglesias dentro de seu Executivo por suas profundas discrepâncias, em especial sobre a Catalunha, após a tentativa de secessão dessa região em 2017.

"A Espanha precisa de um governo de coalizão de esquerdas (...). O (partido socialista) PSOE diz que a única armadilha que esse governo evita sou eu", declarou Iglesias em um vídeo postado em seu Twitter.

"Refleti nesses dias e não vou ser a desculpa para que o PSOE evite esse governo de coalizão", anunciou.

Em troca, contudo, exigiu que "a presença do Podemos deve ser proporcional aos votos" e que eles podem escolher os integrantes de seu partido no futuro executivo.

"Sem vetos nem imposições, podemos chegar a um acordo", reagiu uma fonte socialista à AFP.

Sánchez "escutará as propostas (do Podemos) e decidirá a equipe", acrescentou a fonte, assegurando que o desejo dos socialistas é começar a negociar "os conteúdos" do programa de governo e depois de seus integrantes.

Investido chefe de governo em junho de 2018 graças a uma moção de censura contra o conservador Mariano Rajoy, Sánchez venceu as eleições legislativas no final de abril, mas ficou longe da maioria absoluta com 123 deputados de 350 no Congresso.

Ele precisa do apoio dos 42 deputados do Podemos e de outros partidos regionais para poder ser reeleito no cargo pelo parlamento na semana que vem.

O Podemos condicionava seu apoio à sua entrada em um governo de coalizão.

Sánchez, que inicialmente havia afastado essa condição, flexibilizou sua posição aceitando a entrada de ministros do Podemos com um perfil mais técnico que político.

Internacional