Topo

Panamá adere a grupo de contato da UE para negociação na Venezuela

22/07/2019 20h12

Panamá, 22 Jul 2019 (AFP) - O Panamá aderiu ao Grupo de Contato Internacional, uma iniciativa impulsionada pela União Europeia (UE) para buscar uma saída negociada à crise atravessada pela Venezuela, informou nesta segunda-feira (22) o chanceler panamenho, Alejandro Ferrer.

Segundo ele, essa organização "anunciou a entrada" do Panamá e destacou o "papel positivo" que o país centro-americano pode desempenhar como "facilitador do diálogo", segundo comunicado da Chancelaria panamenha.

Contudo, o Panamá continua a pertencer ao Grupo de Lima, que não reconhece o governo de Nicolás Maduro.

A UE lançou em fevereiro o Grupo de Contato Internacional, iniciativa que defende a celebração de eleições presidenciais "livres e justas" na Venezuela.

Em um comunicado, o Grupo afirmou que a incorporação do Panamá é "mais uma evidência do crescente consenso internacional sobre a necessidade de buscar uma solução pacífica" para a crise venezuelana.

Essa é a "única via" para sair da situação, que afeta "muitos países da região", segundo o grupo.

Ele também é integrado por Bolívia, Costa Rica, Equador, França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Espanha, Suécia, Reino Unido, Uruguai e a própria UE.

O presidente do Panamá, Laurentino Cortizo, que chegou ao poder em 1 de julho, ofereceu a mediação de seu país para o governo e a oposição venezuelanos chegarem a um acordo até o fim do ano.Ele aposta em uma solução negociada que inclua um governo provisório e rejeita uma hipotética invasão militar para derrubar Maduro.

jjr/gma/dga/mvv

Internacional