Topo

Ex-presidente do Quirguistão planejava golpe de Estado, diz serviço de segurança

27.jun.2019 - O ex-presidente do Quirguistão Almazbek Atambayev - Vyacheslav Oseledko/AFP
27.jun.2019 - O ex-presidente do Quirguistão Almazbek Atambayev Imagem: Vyacheslav Oseledko/AFP

Em Bishkek (Quirguistão)

13/08/2019 08h32

O ex-presidente do Quirguistão Almazbek Atambayev, acusado de corrupção e detido na semana passada, preparava um golpe de Estado, afirmou hoje o comandante das forças de segurança deste país da Ásia central.

"Sua intenção era um golpe de Estado. Declaro oficialmente", afirmou Orozbek Opumbayev, diretor do Serviço Nacional de Segurança do Quirguistão (GKNB), em uma entrevista coletiva em Bishkek.

Ele acusou Atambayev de ter ignorado a convocação para interrogatórios antes de sua detenção, de ter "provocado de modo proposital" as forças de segurança. "Atambayev precisava de um banho de sangue para perpetrar um golpe de Estado", disse.

Almazbek Atambayev, chefe de Estado de 2011 a 2017, foi detido na sexta-feira. No dia 26 de agosto a justiça decidirá se o tempo de prisão deve ser prorrogado.

A detenção aconteceu após duas tentativas das forças especiais, marcadas por confrontos entre a polícia e simpatizantes do ex-presidente, com mais de 2.000 agentes mobilizados, incluindo o ministro do Interior.

A operação terminou com um policial morto e centenas de pessoas feridas.

A Procuradoria Geral anunciou que Atambayev era suspeito de "violência contra autoridades, organização de grandes distúrbios e de tentativa de assassinato", além de "tráfico de armas e de munições".

As acusações podem resultar em penas de prisão perpétua.

A justiça iniciou as investigações contra Almazbek Atambayev depois dos confrontos que cercaram sua detenção. Inicialmente ele era acusado de "aquisição ilegal de terras" e pela libertação, durante sua presidência em 2013, do líder mafioso de origem chechena Aziz Batukayev.

Atambayev, de 62 anos, afirma que as acusações apresentadas contra ele são "absurdas" e se considera vítima de uma disputa como seu sucessor e rival, o atual presidente Soronbai Jenbekov.

No final de seu mandato, o ex-presidente conseguiu, após manobras políticas, impor a candidatura de Jenbekov, que era então seu protegido, mas o relacionamento entre os dois se deteriorou rapidamente.

O conflito pessoal provoca temores de graves problemas na ex-república soviética da Ásia Central, cenário de tensão étnica.

A justiça acusou Atambayev em junho por corrupção e os deputados retiraram sua imunidade de ex-presidente.

Mais Internacional