Topo

Migrantes usam desenhos para descrever seus pesadelos

19/08/2019 19h04

A bordo del Ocean Viking, 19 Ago 2019 (AFP) - Disparos na Líbia, guerra em Darfur, os confrontos no sul do Sudão, e barcos que resgatam as pessoas do mar... estes são alguns dos desenhos expostos no convés do Ocean Viking.

A maioria desses desenhos, feitos por migrantes resgatados, descrevem histórias de abusos e perdas, mas também de desejos e alegrias.

Enquanto esperam a autorização para os 356 resgatados pelo barco humanitário da SOS Méditerranée e da Médicos sem Fronteiras (MSF) desembarcarem em um porto, os migrantes foram convidados a desenhar, um passatempo que é também uma forma de terapia.

Com o traço do lápis e algumas cores, narraram seus piores pesadelos e também suas melhores lembranças.

Rodeado por compatriotas, Arun Mohamed descreveu com imagens Darfur em chamas, de onde fugiu em 2011. Também sua passagem pela capital do Sudão, Cartum, e depois pela Líbia. Pintou os aviões atacando sua casa, o fogo que devora o teto, a família que foge.

No desenho de Adam, de 18 anos, que sonha se tornar jogador de futebol profissional, se vê um homem pendurado no teto, com os pés e as mãos atados, enquanto dois homem o espancam em frente a outros prisioneiros que observam a cena em fila indiana.

No desenho seguinte, o homem está deitado e batem na sola de seus pés.

As pessoas em volta de Adam enquanto desenha comentam: "Foi assim mesmo, esperávamos em fila, cada um a sua vez".

Allahaddin reproduziu um mapa da Líbia com a palavra "HELL" (inferno) escrita em vermelho e letras maiúsculas.

Depois diz "Adeus, inferno", enquanto sorri e faz o V de vitória.

Ezzo prefere se lembrar de coisas bonitas: seu povoado bucólico no sul do Sudão, à beira de um lago onde aprendeu a nadar, perto das Montanhas Nuba. Os pescadores, sua avó, a jarra sobre sua cabeça, as vacas.

Mas a guerra continua sendo o tema que mais desenham. A costa da Líbia com botes improvisados, o centro de detenção de Tajoura, perto de Trípoli, conhecido pelos abusos e a violência, os aviões que voam baixo sobre as aldeias em chamas.

Também mostram mães felizes que abraçam seus filhos e outros desenhos marcados pela lembrança de uma infância sem preocupações.

Como um gesto de agradecimento, esses esboços descrevem também os resgates, a chegada de uma enorme embarcação vermelha.

É a embarcação humanitária "Ocean Viking", alugada pelas ONGs SOS Méditerranée e Médicos sem Fronteiras (MSF).

Em sua primeira missão, no início de agosto, a embarcação de cor vermelha e bandeira norueguesa foi recebida com aplausos pelos migrantes assim que eles a avistaram, a partir de um bote inflável.

ach-kv/mb/db

Mais Notícias