Topo

Doador e defensor da agenda conservadora, bilionário David Koch morre aos 79

23/08/2019 16h31

Washington, 23 Ago 2019 (AFP) - O bilionário americano David Koch, um libertário e influente doador para causas da agenda conservadora, faleceu aos 79 anos, depois de uma longa batalha contra o câncer - anunciou seu irmão, Charles, nesta sexta-feira (23).

Koch se afastou dos negócios no ano passado, deixando a vice-presidência da Koch Industries, o conglomerado do qual era coproprietário com Charles, seu irmão mais velho. A empresa é a segunda maior companhia familiar dos Estados Unidos.

"Desejamos que todos celebrem a vida e o impacto deste homem tão generoso e amável", disse Charles Koch, em um comunicado.

"Acreditava que tinha a responsabilidade por um mundo que lhe deu tantas oportunidades de sucesso", completou.

Ambos exerciam grande influência nos bastidores da política republicana, com generosas doações para candidatos e causas que convergissem com suas posições econômicas conservadoras.

David era, porém, um social liberal partidário dos direitos do aborto e do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Também apoiava uma política externa não intervencionista.

Natural de Kansas, como os dois irmãos, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, já manifestou suas condolências.

Os dois foram reconhecidos em 2015 por seu trabalho bipartidarista na reforma da Justiça criminal nos Estados Unidos.

- Forte envolvimento com a políticaDavid foi candidato à vice-presidência pelo Partido Libertário em 1980, mas, com o tempo, alinhou-se com as forças republicanas.

Ele e seu irmão se juntaram para financiar uma rede de organizações conservadoras, em particular a Americans for Prosperity, dedicada à defesa de temas como redução de impostos e desregulação, com o objetivo de influenciar as eleições americanas.

Essas organizações ajudaram a alimentar a ascensão do Tea Party, em 2010, um movimento ultraconservador dentro do Partido Republicano que se tornou um desafio para o então presidente democrata, Barack Obama.

Sua influência era tão grande que, na eleição presidencial seguinte, os candidatos republicanos buscavam obter sua aprovação, participando de conferências exclusivas organizadas pela dupla.

A exceção era Donald Trump, que teve suas credenciais conservadoras postas sob suspeita pelos dois irmãos e era, com frequência, depreciado por ambos.

Charles era o mais envolvido nas redes políticas. Já David era mais ativo nos empreendimentos filantrópicos, em especial em Nova York, e considerado como um importante doador de organizações culturais e pesquisa médica.

David Koch foi diagnosticado com um câncer de próstata em estágio avançado 27 anos atrás, mas, por meio de "uma combinação de médicos brilhantes, remédios de última geração e sua própria teimosia mantiveram o câncer longe", afirmou Charles.

Natural de Wichita, no Kansas, Koch estudou Engenharia Química no Massachusetts Institute of Technology (MIT), antes de se juntar à Koch Industries.

De acordo com a "Forbes", David estava na lista dos mais ricos do mundo, com uma fortuna de US$ 42,4 bilhões.

jm/ft/mps/tt

Mais Notícias