Topo

Israel ataca alvos na Síria para impedir ofensiva com drones iranianos

24/08/2019 21h42

Jerusalém, 25 Ago 2019 (AFP) - As forças aéreas israelenses bombardearam alvos na Síria para evitar um ataque com drones armados com explosivos contra o Estado hebreu, declarou o exército de Israel neste domingo.

A aviação israelense "conseguiu impedir uma tentativa iraniana da força al Qods (unidade de elite dos Guardiães da Revolução) de realizar um ataque da Síria contra alvos no norte de Israel com drones assassinos", declarou a jornalistas um porta-voz do exército, Jonathan Conricus.

Embora Israel realize operações militares na Síria com regularidade, raramente reconhece suas ações tão rápido.

Apenas alguns minutos após a declaração do porta-voz militar, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ressaltou o "grande esforço operacional" do exército para impedir o ataque planejado pelas "forças iranianas Al Quds e milícias chiitas".

"O Irã não tem imunidade em lugar nenhum", assegurou Netanyahu. "Nossas forças operam em cada setor contra a agressão iraniana".

Segundo Conricus, o ataque israelense aconteceu em Aqraba, no sudoeste de Damasco, e foi dirigido contra "uma série de alvos terroristas e instalações militares pertencentes às forças Al Quds, assim como a milícias xiitas".

O exército israelense havia advertido na quinta-feira sobre uma primeira tentativa de lançar o ataque com drones, afirmou Conricus, sem dar mais detalhes.

"Era uma ameaça significativa e esses drones assassinos eram capazes de atacar alvos com uma verdadeira eficácia", afirmou.

- "Drones kamikazes" -O porta-voz militar disse que, embora as forças iranianas tenham lançado foguetes e mísseis contra Israel da Síria em três ocasiões durante 2018, o uso de drones "kamikaze", preparados para explodir sobre seus alvos, é uma tática nova e "diferente".

Conricus assegurou também que Israel considerava responsáveis do ataque com drones tanto o Irã como o regime sírio, e apontou que as forças no norte de Israel se encontravam "preparadas para responder diante de qualquer evolução" da situação.

Do lado sírio, uma fonte militar citada pela agência oficial síria Sana havia informado que o sistema de defesa antiaérea do exército sírio havia interceptado "alvos inimigos no céu de Damasco".

"Às 23H30, a defesa antiaérea detectou alvos inimigos do Golã dirigido-se à aérea em torno de Damasco", informou essa fonte. "A agressão foi enfrentada imediatamente e até o momento a maioria dos mísseis inimigos de Israel foram destruídos antes de alcançar seus objetivos", acrescentou.

Antes que Sana anunciasse a ação defensiva, um correspondente da AFP em Damasco ouviu várias grandes explosões.

"A agressão continua neste momento e a defesa antiaérea está conseguindo neutralizar os alvos, fazendo-os cair em sua maioria" no sul do país, ressaltou Sana.

Desde o início da guerra na Síria, em 2011, Israel executou vários ataques na Síria, a maioria deles contra o que identificou como alvos iranianos e do Hezbollah.

O movimento xiita libanês Hezbollah apoia o presidente sírio, Bashar al Assad, que também conta com o apoio de Teerã.

Israel diz estar determinado a evitar que o Irã se instale militarmente na Síria e afirma que tem o direito de continuar atacando posições controladas pelo Irã e por seu aliado Hezbollah em defesa própria.

Mais Notícias