Topo

Futura presidente interina da Bolívia anuncia que convocará eleições

11/11/2019 17h22

La Paz, 11 Nov 2019 (AFP) - A futura presidente interina da Bolívia, segundo a ordem constitucional, a senadora Jeanine Añez, disse nesta segunda-feira que serão convocadas eleições depois da renúncia de Evo Morales, para que "em 22 janeiro já tenhamos um presidente eleito".

"Vamos convocar eleições com personalidades comprovadas, que realizem um processo eleitoral que reflita o desejo e o sentimento de todos os bolivianos", disse à imprensa na entrada da Assembleia Legislativa de La Paz a segunda vice-presidente do Senado, a quem cabe a presidência interina após a renúncia de todos aqueles que a precederam na linha de sucessão a Morales.

"Já temos um calendário. Acho que a população grita para que em 22 de janeiro já tenhamos um presidente eleito", acrescentou.

A senadora de 52 anos, do partido de oposição Unidade Democrática, pediu entre lágrimas o fim da violência, após três semanas de distúrbios.

"Peço pelo amor de Deus o fim da violência, somente queremos democracia, somente queremos liberdade", implorou Añez, que chegou ao parlamento em um veículo escoltado pela polícia.

A Constituição boliviana estabelece que a sucessão começa com o vice-presidente, passa para o Senado e depois para o titular da Câmara dos Deputados, mas todos eles renunciaram com Morales.

Para que se inicie o mecanismo de convocação de eleições, o Congresso precisa se reunir. Áñez deu garantias aos deputados alinhados a Morales, depois de muitos aliados terem tido suas casas atacadas.

"Certamente terão essas garantias. Estamos em coordenação com os movimentos cívicos, as forças da ordem estão também atentas para protegê-los (...) Fiquem seguros de que nada lhes acontecerá".

jac-al/ltl/cc/db

Notícias