Topo

Grávida morre atacada por matilha na França

20/11/2019 10h41

Uma grávida, que passeava com seu cachorro em um bosque no norte da França, morreu depois de ser atacada por uma matilha que participava de uma caça de cervos, informaram fontes judiciais.

O corpo da mulher de 29 anos foi encontrado no sábado em um bosque nos arredores da cidade de Villers-Cotterets, a cerca de 90 km ao nordeste de Paris, disse a Procuradoria da localidade vizinha de Soissons.

A necropsia determinou que ela morreu "hemorragia depois de várias mordidas de cães nas extremidades superiores e inferiores e na cabeça", relatou o procurador Frederic Trinh.

Algumas das mordidas foram "post mortem", acrescentou.

Trinh disse que foram feitos testes com 93 cães, incluindo alguns de caça e cinco da própria vítima, para tentar estabelecer por quais ela foi atacada.

A polícia iniciou uma investigação por homicídio culposo por ataque canino.

Segundo o jornal local "Le Courrier Picard", os cães caçavam cervos.

A mulher havia ligado para seu companheiro, enquanto passeava com seu cachorro para relatar a presença de "cães ameaçadores", disse o escritório do procurador. Foi o próprio companheiro da vítima que encontrou seu corpo depois.

A atriz Brigitte Bardot, presidente de sua fundação homônima de bem-estar animal, disse ter ficado profundamente abalada ao saber do caso.

Em uma carta, pediu à ministra francesa de Transição Ecológica, Elisabeth Borne, que suspenda "imediatamente qualquer autorização de caça para esta temporada".

Com sede em Paris, a Associação Francesa de Caçadores disse, em um comunicado, que "nada aponta o envolvimento de cães de caça na morte desta mulher".

A França tem mais de 30.000 cães de caça. De acordo com a associação, "estes cães estão treinados para caçar um animal em particular e obedecer ao homem em qualquer circunstância".

Internacional