Topo

Chinês é indiciado nos EUA por espionagem industrial

22/11/2019 07h15

Washington, 22 Nov 2019 (AFP) - Um cidadão chinês, ex-funcionário da Monsanto, foi acusado de espionagem industrial e roubo de segredos comerciais, informou na quinta-feira o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Haitao Xiang, de 42 anos, foi funcionário da grande empresa americana de sementes e de sua subsidiária The Climate Corporation de 2008 a 2017, de acordo com uma declaração do departamento.

Ele foi preso em junho de 2017 em um aeroporto com uma passagem de ida para a China e cópias do software em que estava trabalhando.

"Essa acusação é mais um exemplo do uso pelo governo chinês de programas para incentivar funcionários a roubar a propriedade intelectual de seus empregadores americanos", denunciou John Demers, adjunto do Departamento de Justiça para questões de segurança nacional.

"A tecnologia revolucionária no centro deste caso representa o melhor da engenhosidade americana e é a razão pela qual o governo chinês tenta tão desesperadamente roubá-la", disse John Brown, diretor adjunto do FBI de contra-inteligência.

Um porta-voz do ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, afirmou que Washington está tentando usar o caso para apoiar as acusações de que a China rouba tecnologia de empresas americanas.

"Somos totalmente contra as tentativas da parte americana de usar esse caso, que consideramos um incidente comum e isolado, para exagerar as supostas tentativas sistemáticas da China de infringir a propriedade intelectual nos Estados Unidos", reagiu Geng em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira.

Xiang pode pegar até 15 anos de prisão e uma multa de US$ 5 milhões por cada uma das três acusações de espionagem, e até 10 anos e uma multa de US$ 250.000 por cada uma das três acusações de roubo de segredos comerciais.

cjc/la/hh/lth/cr/mr

Monsanto

Notícias